quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Livro: Cidades de Papel


Título: Cidades de Papel
Título original: Paper Towns
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 368

Sinopse: 
Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.


Depois de um tempo sem posts aqui no blog, estou de volta, finalmente! Vamos lá :)

“Eu estou apaixonado por cidades que eu nunca estive e pessoas que eu nunca conheci.”

Juro que tô com a página em branco há algum tempinho pensando no que vou escrever sobre esse livro. Amei tanto que nossa, meio que as palavras somem. Mas enfim, vamos lá. Como sempre começo pela capa, vou dizer o que achei: poderia ser melhor. Sim, ela tem tudo a ver com o livro, mas achei tão… normal. Quanto a diagramação, é perfeita. As páginas são amareladas. Tudo contribuindo para uma leitura perfeita. 


Confesso que demorei um tempinho pra chegar um pouco antes da metade por motivo de: internet, oh vício que é chatinho às vezes! Mas enfim, quando chegou na metade virou um não-vou-conseguir-parar-de-ler, grudei nele totalmente e li um bocado, e quando vai chegando no final, os capítulos são bem mais curtos, e cheguei naquele ciclo vicioso de “só vou ler mais um”, e o resultado? Li até o final, e nisso já era umas 4 da manhã. É um livro extramamente viciante, me deixou muito ansiosa pra saber o que ia acontecer, um livro que prende o leitor.


Podem dizer o que quiserem do Green, que é clichê, que é modinha, mas eu continuo me surpreendendo a cada livro que eu leio do autor, além de achar eles diferentes entre si, acho diferente de qualquer livro que tenha lido. Cidades de Papel é encantador, um livro profundo e que o que tem em comum com os outros é: te faz pensar. E isso é uma coisa boa. Pensar nas pessoas, nas coisas, tudo. Me lembrei algumas vezes do Charlie, de As Vantagens de Ser Invisível também. 


Além também de ter personagens cativantes, isso é uma característica fortes nos livros do John pra mim. Principalmente o melhor amigo engraçadinho do personagem principal. Nesse livro eu realmente me apeguei ao Quentin, é como se ele fosse realmente um amigo. Mas tá, não quero ser chata, mas acabei ficando meio puta com o final. Esperava mais. Esperava que fosse diferente. Mas o problema é que eu não deveria esperar nada, certo? Parei pra pensar mais nesse final, e é como o livro mostra o tempo todo: Nem sempre as pessoas são do jeito que a gente conhece ela. Por isso, a Margo tem todo o direito de ter sido como foi no final. Quase que eu dou 4 estrelas por isso, mas decidi que Cidades de Papel definitivamente merece o total. Também achei o livro bem descritivo, acho que ia dar super certo nas telinhas! E nem preciso dizer que entrou pra minha lista de favoritos, né? E não vejo a hora de me jogar em outra história do John Green.


E aí, quem já leu, o que achou? Gostaram da resenha e das fotos? Beijosss

12 comentários:

  1. Eu sou apaixonada por John Green. Estou louca pra ler esse livro :)

    http://morenaofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo, atualmente é meu autor favorito! Bjsss <3

      Excluir
  2. oeeee faz uma resenha du livru cinquenta tons de cinza porfa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Farei sim baby, pode deixar que quando der eu posto!

      Excluir
  3. Já estava curiosa para ler este livro! Depois de ler essa resenha me deu mais vontade ainda!!!

    Mil Beijos
    http://avidaemoutrostons.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que bom! Leia mesmo e depois conta o que achou, beijos :3

      Excluir
  4. Sua resenha foi muito bem elaborada.
    Nunca li livros desse autor mas sempre vejo resenhas. Adorei conhecer mais uma blogueira de salvador.

    www.rockcomluxo.com
    www.instagram.com/rockcomluxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, de verdade! Tento fazer minhas resenhas sem spoiler e sem usar a sinopse como muitos fazem. Seja bem vinda ao meu cantinho, beijossss

      Excluir
  5. Eu nunca li nenhum livro do John, não sei o motivo real.
    Mas com esse post me deu vontade de começar com Cidades de Papel, li algumas resenhas sobre o livro, mas nada difere de suas palavras. O jeito que você se expressa é tão incrível que me motivou a ler.
    Depois lhe conto do que achei sobre a história.

    Caio Mota

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, fico feliz com isso! Amo motivar as pessoas a ler algo :D Garanto que não vai se arrepender. Vem me contar mesmo, viu? Beijão =)

      Excluir
  6. Também amei o livro que li até duas vezes, o que eu mais gostei foi o fato de ele ter me feito pensar, depois que li esse livro minhas formas de olhar para o mundo e para pessoas mudaram de uma maneira indescritível. Achei um livro muito inteligente e a Margo uma personagem profunda e maravilhosa. Até hoje, na minha opinião foi a melhor obra do Green. Ótima resenha! Beijos.

    gavetademakes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem isso mesmo! Que bom que gostou, beijos ♥

      Excluir

Deixe o seu comentário, sugestão ou opinião! Respondo todo mundo, viu? Só clicar em notifique-me pra receber minha resposta! Beijão! :)